Instalação do amortecedor: saiba quais cuidados tomar

A instalação do amortecedor requer bastante atenção, e estamos aqui para dar algumas dicas fundamentais.

Por ter impacto direto na segurança do veículo – afinal desempenha papel fundamental no controle e estabilidade – o amortecedor merece atenção especial dos mecânicos na hora de sua instalação.

Quando inadequados ou mal instalados, a peça acarreta menor dirigibilidade, ou seja, uma condução desconfortável, com mais vibrações, solavancos e ruídos indesejados.

Mas não é só isso. Outro fator importante a ser observado é a interferência do amortecedor em outras peças, como molas, pneus, buchas e demais componentes da suspensão em geral.

Como o trabalho do sistema é resultado da ação conjunta, a instalação incorreta da peça pode prejudicar seu funcionamento, sobrecarregando o sistema e reduzindo a vida útil das peças.

Assim, a Cofap orienta observar alguns passos ao executar a troca dos amortecedores. Continue com a leitura e bom aprendizado!

Mecânico avaliando suspensão automotiva

Orientações gerais sobre a instalação do amortecedor

1. Como identificar se a peça é Cofap? Como identificar se ela não foi recondicionada?

Em primeiro lugar, é sempre bom lembrar: não existe amortecedor recondicionado. Normalmente, este tipo de peça recebe apenas uma pintura nova e o lubrificante empregado em seu interior é diferente do recomendado.

Importante dizer que o óleo utilizado nos amortecedores é desenvolvido especialmente para este tipo de peça, conforme formulações específicas, adequadas às temperaturas e condições de trabalho.

Normalmente, essa substituição é realizada com furos ou cortes no reservatório, e o processo de solda pode contaminar o interior da peça. Ou seja, a ação prejudica ainda mais o já precário estado dos componentes internos – que podem passar de 50, dependendo do modelo e não são comercializados para substituição no mercado.

Assim, é importante verificar se não há qualquer indício de violação na peça. Isso porque o amortecedor é uma unidade selada, vedada, de modo que uma simples abertura já afeta seu funcionamento.

Outro fator a ser observado durante o primeiro contato com a peça é o do selo Inmetro no produto. Ele precisa estar obrigatoriamente tanto na etiqueta de identificação na embalagem, quanto no corpo da peça.

Porém, às vezes esta certificação pode não bastar, já que o selo Inmetro pode estar no corpo do amortecedor e os recondicionadores podem usar a informação para alegar que o produto é novo. Então, a nota fiscal e o certificado de garantia devidamente preenchido podem ser um meio valioso para garantir que a peça não é recondicionada. 

2. O amortecedor deve ser trocado sempre aos pares? Quando tenho problema em um amortecedor e não no par, como analisar a necessidade de troca do par ou de um lado só?

Em caso de necessidade de troca de amortecedores, a recomendação é que a substituição seja feita sempre aos pares, para cada eixo. Isso porque, se um amortecedor novo trabalhar em conjunto com outro usado que esteja fora da faixa de tolerância de ação, poderá ocasionar desbalanceamento dinâmico.

Assim, por questão de segurança na dinâmica do veículo, o recomendado é a troca de ambos os amortecedores do mesmo eixo. No caso de troca apenas de um lado, a avaliação da dinâmica de funcionamento deve ser efetuada através do equipamento ShockTester Cofap.

3 – Escorvamento ou Equalização

Antes de instalar o amortecedor, é importante realizar um procedimento chamado escorvamento. Também conhecido como equalização, é um processo bem simples que garantirá um funcionamento adequado da peça ao remover todo ar presente em seu tubo interno.

Assim, coloque o amortecedor na posição vertical, com a haste voltada para cima e, em seguida, empurre a haste do amortecedor totalmente para baixo.

Depois, basta puxá-la completamente para cima, repetindo o processo por cinco vezes, ou até perceber que o tubo está completamente cheio de óleo. Para verificar se todo o ar foi removido, desça a haste devagar. Se o tubo estiver cheio internamente de óleo, você sentirá a haste firme durante esse movimento.

Após concluir o escorvamento, evite deitar o amortecedor novamente até a montagem definitiva no veículo, pois isso pode fazer com que seja necessário repetir o procedimento.

4. Ferramentas adequadas para travar a haste: quais são?

Não use alicates de pressão para segurar a haste ao apertar a porca. Use sempre a ferramenta correta, como uma chave fixa ou uma chave allen, dependendo do tipo de amortecedor. O uso do alicate pode danificar a haste, romper o selo de vedação e causar vazamento de óleo, prejudicando o funcionamento do amortecedor. Isso também invalida a garantia.

Portanto, utilize as ferramentas adequadas para uma instalação segura e eficiente.

5. Carro deve estar apoiado no chão, suspenso, no elevador ou a posição é indiferente?

Suspender o carro durante a instalação do amortecedor é uma prática padrão recomendada para garantir a correta montagem e o bom funcionamento do sistema de suspensão.

Com o carro suspenso, seja em cavaletes ou elevador, irá permitir que a suspensão esteja em seu ponto mais relaxado, facilitando o acesso aos componentes e garantindo uma montagem precisa. Além disso, trabalhar com o carro suspenso aumenta a segurança durante o processo de instalação, evitando acidentes e lesões.

Essa prática também possibilita testes pós-instalação para verificar o ajuste adequado e a fixação correta dos componentes.

6. Cuidado com o aperto

Por princípio, os amortecedores só devem ser apertados depois que o veículo estiver sobre suas rodas – ou se as rodas forem pressionadas para cima por meio de macaco hidráulico – pois assim os pontos de fixação estarão alinhados em seu ângulo normal de trabalho.

Também é essencial manter o torque recomendado pelo fabricante do veículo. Para evitar sobrecarga do material por apertos excessivos, como regra, não devem ser usadas parafusadeiras de impacto ao realizar esse tipo de trabalho.

Parafusadeiras e ferramentas de impacto podem danificar roscas, peças internas, ou até mesmo, deformar a estrutura do componente, resultando em uma instalação insegura com impactos diretos a seu desempenho.

Além disso, amortecedores montados sob tensão, ou uma porca apertada excessivamente, podem levar à quebra do pino de união.

É fundamental seguir as orientações para a instalação do amortecedor

Informações complementares sobre instalação do amortecedor

Vale lembrar que as informações deste texto são apenas dicas técnicas úteis que mostram apenas uma visão geral e básica sobre a instalação de amortecedores. As instruções e procedimentos fornecidos pela montadora do veículo e todos os avisos de segurança contidos nos manuais devem ser seguidos.

Verifique também os demais componentes como o coxim, a coifa, o batente e a mola. Se apresentarem desgastes, substitua-os. Dessa forma todo o conjunto trabalhará na mesma condição.

Lembrando sempre que os amortecedores são desenvolvidos para controlar as forças das molas; portanto, se as molas estiverem com alterações em suas forças, impactam no funcionamento do amortecedor.

Você sempre pode contar com nossa equipe técnica pelo 0800-019-4054 ou pelo Fale Conosco em nosso site, para mais informações.

Sobre os amortecedores Cofap

O catálogo Cofap disponibiliza amortecedores para modelos das principais montadoras, com as mesmas características de qualidade e desempenho do produto original.

Quem adquire um amortecedor Cofap sabe que está recebendo um item com a excelência da marca que, há mais de 70 anos, fornece componentes para as principais fabricantes de veículos do País e do mundo. Esse reconhecimento é resultado dos investimentos constantes em tecnologia para ampliação de sua linha de produtos e no respeito aos parâmetros técnicos estabelecidos pelas montadoras.

Os amortecedores Cofap possuem o certificado do INMETRO, conforme prescreve a regulamentação, o que garante a segurança e a tranquilidade dos reparadores e dos usuários.

O portfólio da linha de amortecedores Cofap é o maior do mercado e atende veículos de passeio, utilitários, comerciais (caminhões e ônibus) e motocicletas, além de implementos agrícolas e industriais.

A gama de produtos é composta por amortecedores de suspensão, de direção, de cabine, amortecedores para bancos e porta de caçamba, bem como molas e gás para tampa de porta-malas, entre outras aplicações específicas.

Para mais informações sobre códigos e aplicações, baixe nosso catálogo eletrônico.