Revisão antes das férias: como fazer?

Seria ótimo apenas abastecer o carro e pegar a estrada com a família para aproveitar o tão sonhado descanso. Mas se o seu carro não está com a revisão em dia, os problemas podem ser bem maiores que a diversão.

Com a rotina atribulada ao longo dos anos, seja com trabalho ou estudos, um desejo que é unânime em determinadas épocas é o tão sonhado período de recesso. Independentemente do destino, a ideia é só deixar todos os afazeres para trás e relaxar em algum local onde você conhecerá coisas novas ou revisitar paisagens que fazem seu coração bater mais forte.

Assim, vem o roteiro da viagem, a programação, a hora de abastecer o carro e colocar o pé na estrada, não é mesmo? Mas e a revisão do carro? Está em dia?

Para evitar que as férias terminem antes mesmo de começar, é necessário fazer uma boa manutenção preventiva, onde são checados uma série de componentes no veículo e, com isso, minimizar as possibilidades de ficar parado na estrada enquanto o socorro não chega.

Pensando nisso, este artigo foi desenvolvido para esclarecer tudo que é preciso saber a respeito da revisão de férias.

Afinal, qual a real necessidade desta prática? Quais peças precisam ser averiguadas antes de partir de uma cidade à outra com seu carro? Venha conosco e veja a resposta dessas e de outras perguntas.

Motorista verificando pneu do carro

A revisão de férias

Ao viajar pelas estradas do País, é comum se deparar com situações onde existe um veículo parado no acostamento com o motorista desolado tentando pedir socorro pelo celular, enquanto os passageiros ficam completamente perdidos com o ocorrido.

Para evitar que você seja o próximo na beira da estrada, é de extrema importância fazer uma checagem de todos os sistemas do carro antes da viagem, assim você não perde tempo precioso do seu momento de descanso. A este tipo de manutenção é dado o nome de revisão de férias.

É importante que todos os automóveis façam essa manutenção preventiva antes de sair da cidade onde reside, independente do ano de fabricação. Isso porque, dependendo da forma de condução, condições de uso e pavimentação da região por onde circula, determinados itens podem sofrer um maior desgaste em relação a outros.

Por exemplo, se você mora em uma região costeira que tenha praia, é possível que, com o efeito da maresia, algumas peças tenham sido comprometidas devido à ferrugem. Por outro lado, se a sua cidade possui diversos buracos no asfalto e uma pavimentação irregular em muitos trechos, existe a possibilidade de desgaste dos amortecedores e pneus.

Além disso, a forma de condução é um fator extremamente impactante para a durabilidade do veículo e determinadas peças podem sofrer com isso, principalmente o sistema de suspensão e o de transmissão.

Por estes motivos, é indispensável levar o seu veículo, seja ele de quatro rodas ou duas, em uma oficina especializada e solicitar uma revisão de férias. Isso porque um mecânico de confiança entenderá as principais avarias diagnosticadas nos carros da região e quais são as peças que devem estar em perfeito funcionamento para que se possa viajar sem dores de cabeça.

Para ter uma viagem segura, é preciso que o proprietário e/ou motorista avaliem o estado de todos os pneus, indicativos nas luzes do painel, a possível necessidade de troca ou reposição de fluidos, entre outros.

A revisão de férias é fundamental para viajar com tranquilidade

Como fazer esta revisão?

Para início de conversa, é preciso se programar com antecedência para fazer uma revisão de férias. Boas oficinas mecânicas muitas vezes precisam de um agendamento prévio e um determinado tempo para que o veículo passe por todas as análises necessárias, bem como eventuais substituições de peças.

É claro que, ninguém deseja desembolsar uma alta quantia com a manutenção veicular. Para evitar trocas de peças desnecessariamente, é importante ter um bom gerenciamento de suas manutenções recentes.

Por exemplo, se o filtro de ar foi substituído em um curto prazo de tempo e ainda está dentro da validade e com bom funcionamento, você não vai querer ser “passado para trás” com uma nova troca prematura. Manter um bom conhecimento do próprio veículo é essencial.

Ao procurar uma oficina, sempre escolha aquela com profissionais especializados. É muito comum que o dono de um carro já tenha uma de confiança, onde pode resolver todos os problemas apresentados e por um valor adequado.

A preferência tende a ser por este estabelecimento, todavia, caso não possa ser atendido na época anterior à viagem, procure uma alternativa que ofereça o mesmo nível de atendimento. E, é claro, observe alguns pontos, como:

  • Orçamento detalhado, incluindo todas as peças analisadas e substituídas;
  • Garantia mínima de 90 dias;
  • Padrões de organização e limpeza satisfatórios.

Quando a oficina for de fato escolhida e a data da revisão de férias for agendada, é o momento de passar por uma troca de informações com o mecânico. Via de regra, o profissional vai seguir um roteiro padrão de avaliação. Desse modo, é necessário explicar a ele quaisquer problemas que o veículo tenha apresentado nos últimos tempos, bem como as últimas trocas de componentes realizadas.

Essas questões discutidas podem variar desde uma luz que surge no painel e desaparece de tempos em tempos, ou mesmo ruídos desconhecidos que o motorista tenha percebido, até questões mais sérias que provoquem uma certa instabilidade na condução.

É preciso informá-lo também sobre as condições de uso do veículo e regiões por onde circula, afinal, peças podem sofrer desgastes dependendo destes fatores.

Por exemplo, quem coloca o carro frequentemente em estrada de terra, precisa trocar o filtro de ar com uma frequência muito maior, devido ao maior volume das partículas que precisam ser filtradas. Por outro lado, quem costuma passar por terrenos arenosos, precisa averiguar os eixos e a suspensão com maior frequência da que a habitual.

Então, estas informações são indispensáveis na hora de entregar o veículo para uma revisão de férias.

Qual a importância da revisão de férias?

Mecânico avaliando estado do veículo

Se você vai estar em outro estado, longe das oficinas que conhece e mais distante ainda dos amigos ou familiares que poderiam lhe prestar um socorro, você não vai querer que o seu carro dê problema no meio da estrada. Por isso, uma checagem prévia pode trazer muito mais conforto para a sua viagem com a revisão de férias, além de sair mais barato do que solicitar um guincho em outra cidade.

Segurança

Diversos sistemas que são imprescindíveis para o bom funcionamento do veículo são conferidos na manutenção preventiva, como suspensão e freios. É de extrema importância que estes conjuntos estejam operando em boas condições para que uma viagem longa seja segura e confortável.

O freio é um elemento crucial em qualquer veículo, seja para diminuir gradualmente a velocidade ou, em algum caso mais severo, uma frenagem brusca. Lembre-se que trafegar em auto estrada exige o dobro da atenção, pois qualquer tipo de imprevisto pode ocorrer.

Por exemplo, a força aplicada nos pedais pode não ser suficiente para fazer com que o veículo pare no tempo ideal caso o fluido de freios esteja abaixo do indicado, ou prazo de troca vencido.

O mesmo ocorre com as suspensões, que precisam operar de forma correta para manter o equilíbrio e estabilidade do veículo. Se o conjunto não estiver funcionando perfeitamente e uma das rodas encontrar dificuldade para se manter no chão, um tremendo acidente pode acontecer.

É claro que, outros sistemas também são analisados para assegurar a segurança do carro, do motorista e dos passageiros. A revisão de férias será a sua segurança para uma viagem com mais tranquilidade.

Durabilidade

Alguns proprietários de veículos pensam em, um dia, vendê-lo para adquirir um modelo mais recente, com uma taxa de consumo menor e tecnologicamente mais favorável para a época. Se a manutenção não for seguida à risca, a revenda pode não ser fácil, afinal, quem gostaria de comprar um carro com defeitos e peças desgastadas?

Com a manutenção preventiva, que é o caso da revisão de férias, você melhora a conservação do seu veículo, bem como a durabilidade dele. Na maioria dos casos, essas revisões não exigem procedimentos complexos, desde que realizadas periodicamente.

Por outro lado, quando a manutenção é “empurrada com a barriga”, o custo será muito maior, uma vez que o número de peças danificadas e desgastadas tende a ser mais alto.

Um exemplo clássico, é a questão do balanceamento e alinhamento. Quando esse procedimento não é realizado, a condução é afetada diretamente. O veículo passa a apresentar instabilidade e o volante pode ficar “puxando” para um dos lados, ou apresentar vibração. Isso significa que a suspensão e/ou os pneus tenham sido desgastados.

Leve seu veículo para a revisão se for viajar de férias

O que deve ser verificado na revisão?

Levando em consideração que um veículo pode ter até 30.000 peças, a depender do ano de fabricação e montadora, o proprietário logo imagina que item por item será verificado e imagina o quanto um serviço de revisão pode sair caro.

Entretanto, não é dessa forma que funciona. Para a checagem de um veículo utiliza-se a lei de Pareto que diz basicamente que ““80% das consequências advêm de 20% das causas”. Isto é, durante a manutenção preventiva, a análise ocorre nos principais sistemas que são tidos como “vilões” na hora de sair de férias. Com a averiguação destes, a esmagadora maioria dos possíveis contratempos são eliminados.

São eles:

  • Sistema de arrefecimento;
  • Freios;
  • Pneus;
  • Suspensão;
  • Itens de segurança;
  • Sistema elétrico.

Agora você já sabe: a revisão de férias te proporciona uma viagem de qualidade e minimiza a chance de transtornos durante o percurso. Mais que isso, além da segurança, a prática aumenta a vida útil do seu automóvel e evita custos adicionais!